Arquivo da tag: estranhamento

Sobre o prazer derivado de objetos de terror (John Aikin e Anna Laetitia)

7c759f55-e6b6-4217-a26e-2bc6f0f118ed“John Aikin foi um escritor e médico inglês formado pela Universidade de Edimburgo. Mudou-se em 1792 para Londres, onde, tempos depois, deixaria de exercer seus trabalhos como cirurgião para se dedicar a questões relacionadas à liberdade religiosa e de consciência. Seus estudos trouxeram contribuições significativas para a medicina e para os estudos literários, relacionando, por vezes, as duas áreas – como em seus ensaios que associam as novas descobertas científicas ao aprimoramento da poesia. Entre suas realizações, destacam-se o trabalho como editor da The Monthly Magazine e o lançamento de Evenings at home (1792-1796), uma coleção de histórias infantis escritas em conjunto com sua irmã, a também escritora Anna Laetitia Barbauld.

Engajada politicamente, Anna Laetitia atuou como poeta, ensaísta, editora, e também como professora na Palgrave Academy. Seu trabalho enquanto educadora serviu de modelo para práticas pedagógicas durante muitos anos, e sua atuação como crítica e ensaísta colaborou para o estabelecimento do cânone da literatura do século XVIII. Entre suas obras, destacam-se a série de livros Lessons for Children (1778-1779) – seu mais notório trabalho, fundamental para o desenvolvimento da literatura infantil – e o poema que censurava a participação britânica nas guerras, Eighteen Hundred and Eleven (1812), cujas duras críticas recebidas deram fim a sua carreira literária.

Anna Laetitia e John Aikin publicaram juntos o livro Miscellaneous pieces, in prose (1773), de onde retirou-se Sobre o prazer derivados de terror, texto em que analisam o comportamento humano diante de cenas e objetos terríveis. Os dois irmãos buscam, no ensaio, compreender a intensidade e a variedade de sensações – do espanto à curiosidade, do estranhamento ao prazer – provocadas por cenas de horror artificialmente criadas através das artes literárias.”

Leia aqui o ensaio completo.

(*) Esse ensaio faz parte da coletânea As Artes do Mal: textos seminais, organizada por Júlio França e Ana Paula Araújo. Adquira o livro aqui.