De Lovecraft a King: uma análise histórica e estrutural do medo na literatura a partir da leitura dos contos “A Cor que caiu do céu” e “A Excursão” e dos conceitos de art-horror, de Carrol (Adriana Falqueto Lemos)

A cor que caiu do céu“A literatura de horror, assim como a arte e o cinema do mesmo gênero, faz com que a audiência tenha contato com algo que os humanos, geralmente, se privam de sentir: o medo. O objetivo deste artigo é pensar sobre o medo, a fim de entender e expor o valor estético da literatura de horror a partir da leitura de dois contos: “A cor que veio do espaço”, de H. P. Lovecraft (1927), e “A Excursão”, de Stephen King (2002). A intenção é determinar as similaridades, em termos de estrutura narrativa, por consequências relativas à construção do medo, utilizando os conceitos de Art-Horror formulados por Carroll (1990). Depois da análise, conclui-se que os padrões estruturais de ambos os contos utilizados como corpus deste estudo se encontram para produzir o efeito de medo próprio da Art-Horror”.

Leia aqui o ensaio completo.

*Esse ensaio foi publicado originalmente no XII painel – As arquiteturas do medo e o insólito ficcional. Republicamos aqui, com autorização do próprio autor, com fins puramente acadêmicos.

Sobre William Wilson

"Eu descendo de uma raça que se distinguiu, em todos os tempos, por um temperamento criativo e facilmente irritável; e que, desde a minha infância, provou que eu herdara por completo o caráter de minha família." Ver todos os artigos de William Wilson

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: