Histérica e perigosa: a heroína do Gótico-Naturalismo (Marina Sena)

Gothic_Roses_and_Skulls_Hairclip_4“Este artigo procura analisar a figura da histérica, criada pelos naturalistas, e pretende demostrar de que forma este arquétipo de personagem é construído e desenvolvido dentro de uma específica poética finissecular, a que chamo Gótico-Naturalismo. Para tal, analisa-se o conto “Noivados Trágicos” (1898), de Medeiros e Albuquerque, de forma a exemplificar o papel exercido por esta figura feminina em uma narrativa brasileira.”

Leia o ensaio completo aqui.

(*)Esse ensaio foi publicado originalmente na Revista Acadêmica Todas as Musas, n.1 (2017). Republicamos aqui, com autorização da própria autora, com fins puramente acadêmicos.

Sobre William Wilson

"Eu descendo de uma raça que se distinguiu, em todos os tempos, por um temperamento criativo e facilmente irritável; e que, desde a minha infância, provou que eu herdara por completo o caráter de minha família." Ver todos os artigos de William Wilson

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: