“Um sinal de porneia”: a femme fatale enquanto figura arquetípica em “O carro da semana santa”, de João do Rio (Bruno Tardin)

“Propõe-se aqui uma análise teórico-crítica acerca da misteriosa personagem femme fatale em torno da qual gira a trama do conto O carro da Semana Santa, de João do Rio. Serão abordados aspectos temáticos e estruturais que possibilitem a defesa de elementos simbólicos no texto literário, recorrentes à literatura do Decadentismo, além da notável bivalência cultural propagada pela modernidade através da constituição psíquica e social do sujeito moderno inserido no espaço urbano. Para tanto, a personagem femme fatale, íntima deste cenário de perversão sociocultural, será avaliada a partir de seus traços arquetípicos enquanto figura de destaque no jogo teatral perpetrado pela sociedade burguesa moderna, através do resgate de determinados aspectos da Grande Mãe jungiana presentes na personagem mítica de Lilith, senhora da noite e dos mistérios.”

Leia o ensaio completo

Anúncios

Sobre William Wilson

"Eu descendo de uma raça que se distinguiu, em todos os tempos, por um temperamento criativo e facilmente irritável; e que, desde a minha infância, provou que eu herdara por completo o caráter de minha família." Ver todos os artigos de William Wilson

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: