“A alma encantadora das ruas” e “Dentro da noite”: João do Rio e o medo urbano na literatura brasileira (Julio França)

cropped-niebla“(…) Quando não é personificado e transformado na própria personagem monstruosa ­­ – casos, por exemplo, da mansão Crane em The Haunting of Hill House (1959), de Shirley Jackson, e do Hotel Overlook, em The Shinning (1977), de Stephen King, dois romances já clássicos do gênero –, o espaço narrativo é sempre responsável direto por conferir à personagem monstruosa grande parte de seu poder de provocar o medo e outras emoções correlatas. Mais do que um simples elemento constitutivo do texto narrativo, o espaço, na literatura do medo, pode se transformar em um topos literário, como ocorre nos inúmeros contos que tematizam locais mal-assombrados. (…)”

Leia o ensaio completo

Anúncios

Sobre William Wilson

"Eu descendo de uma raça que se distinguiu, em todos os tempos, por um temperamento criativo e facilmente irritável; e que, desde a minha infância, provou que eu herdara por completo o caráter de minha família." Ver todos os artigos de William Wilson

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: