Medos de ontem e de hoje: a face cultural de uma emoção universal através de um olhar comparativo entre obras literárias pós-II Guerra Mundial e obras cinematográficas pós 11 de setembro (Priscilla Figueiredo)

“(…) Ao analisar as duas obras podemos começar a perceber a face cultural da emoção universal que é o medo. Do medo freudiano, doméstico, de “As crianças do milharal” até os zumbis de TerraTotal-War-Rome-2-preview-3 dos mortos, há uma cratera do tamanho do World Trade Center no ego estadunidense. Há o inexplicável, o inesperável, o imprevisto. Aquilo que mais amedronta agora – o inimigo – não mora ao lado. O monstro agora não tem mais classificação, e quando o tem, não pode ser humano, tamanho o horror que produz. Enquanto existirmos haverá o medo. Sua face pode mudar de tempos em tempos, mas esse sombrio companheiro da Humanidade permanecerá ao nosso lado, respirando seu hálito de morte. E enquanto ele existir, as histórias de terror e os monstros que criarmos nos ajudarão a lidar com o medo que sentimos, e ao mesmo tempo, refletirá aquilo que somos.”

Leia o ensaio completo

Anúncios

Sobre William Wilson

"Eu descendo de uma raça que se distinguiu, em todos os tempos, por um temperamento criativo e facilmente irritável; e que, desde a minha infância, provou que eu herdara por completo o caráter de minha família." Ver todos os artigos de William Wilson

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: