O Vampiro da Granja Croglin (Augustus Hare)

“(…) De repente, ela nunca pôde explicar porque, o terrível objeto pareceu virar parvarney.teacha um lado como se fosse rodear a casa, e não em sua direção, e imediatamente ela pulou da cama e bateu contra a porta, mas enquanto ela a destrancava, ela ouvia scratch, scratch, scratch, contra a janela, e viu um horrível rosto marrom com olhos flamejantes olhando para ela. Aterrorizada, ela voltou à cama, mas a criatura continuava a arranhar a janela. Ela sentiu algum conforto em saber que a janela estava traçada por dentro.  Subitamente, o som na janela cessou e se escutou um som de algo quebrando. Então, em sua agonia, ela verificou que a criatura estava quebrando os vidros. O ruído continuou e um painel de vidro caiu para dentro do quarto. Então um dedo cadavérico e longo  da criatura entrou e abriu a tranca da janela, e a criatura entrou. O terror da menina foi tão grande que não conseguiu gritar,  a criatura entrelaçou seus longos dedos no seu cabelo e começou a arrastá-la para o lado da cama, onde a mordeu violentamente na garganta. Com a mordida, sua voz se liberou, e ela gritou com toda a sua força.” (Tradução de Alessandra Casati)

Leia aqui o conto completo, em inglês

Anúncios

Sobre William Wilson

"Eu descendo de uma raça que se distinguiu, em todos os tempos, por um temperamento criativo e facilmente irritável; e que, desde a minha infância, provou que eu herdara por completo o caráter de minha família." Ver todos os artigos de William Wilson

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: