Sob o signo de Plutão: digressão sobre os limites do horror e do terror (Anderson Pires da Silva)

“(…) O terror atinge seu efeito quando o espectador levanta da cadeira, fecha os olhos ou ahqdefaultperta as mãos. Ele não provoca medo, mas sustos. Aterrorizar significa assustar. Quando vemos em uma cena um braço sendo cortado por uma serra elétrica, nos levamos instintivamente as mãos ao nosso braço. A sensação de terror deriva da dor física. Aparentemente, o terror é amoral, por isso não precisa se preocupar com questões de ‘bom tom’. (…)”

Leia o ensaio completo

Anúncios

Sobre William Wilson

"Eu descendo de uma raça que se distinguiu, em todos os tempos, por um temperamento criativo e facilmente irritável; e que, desde a minha infância, provou que eu herdara por completo o caráter de minha família." Ver todos os artigos de William Wilson

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: